NOTAS EXPLICATIVAS

Publicado por: Secretaria Geral da OISS

Notas explicativas: (ARGENTINA)

 (*) Idem. notas correspondientes en el Cuadro 1 «ORGANIZACIÓN».

 (1) O valor do MOPRE é fixado anualmente, de acordo com as disposições da Lei Orçamentária aprovada pelo Congresso Nacional. O valor atual do MOPRE é de US $ 80.

Notas explicativas: (BOLÍVIA)

 (1) A Lei estabelece os seguintes sistemas financeiros: Prêmio de Distribuição Simples para o financiamento do seguro de saúde e do abono de família e regimes de moradia; de Distribuição de Capitais, para o seguro de riscos profissionais; e Capitalização Individual, para pensões de invalidez, velhice e morte no novo sistema.

Notas explicativas: (BRASIL)

 (1) Os elementos que compõem o financiamento da Previdência Social no Brasil são os seguintes: a) os trabalhadores empregados, inclusive domésticos e avulsos, contribuem com o salário-base de contribuição,
paga no mês, que, a partir de julho de 2003, é de 8% (para salários entre R $ 240,00 a R $ 560,81, 9% (para salários R $ 560,82) até R $ 934,67) e 11% (para salários entre R $ 934,68 e R $ 1.869,34). O último valor é o limite máximo de contribuição b) Trabalhadores independentes (empresário, autônomo e iguais, eclesiásticos, etc.), bem como no Seguro Facultativo
Contribui com 20% de desconto entre R $ 240,00 e R $ 1.869,34. Há reduções na taxa de contribuição de até 11%, quando o contribuinte individual presta serviços em outras empresas.

Notas explicativas: (CHILE)

 (1) Todos os afiliados que se beneficiam de cuidados de saúde devem fazer contribuições diretas no momento de solicitar um benefício médico ("co-pagamentos"), exceto no caso de pessoas sem recursos ou membros beneficiários com renda abaixo de um certo limite.

 (2) Com relação aos acidentes de trabalho, o INP concede e paga, entre outros benefícios, os correspondentes a este seguro, seus próprios membros e pensionistas das empresas com administração delegada.

Notas explicativas: (COLÔMBIA)

 (1) As fontes de recursos dos Fundos para a promoção do emprego e proteção do desemprego dos Fundos de Compensação Familiar são os seguintes:

a) o valor que resulta da aplicação do percentual de 55% que foi aplicado em 2002 aos dependentes maiores de 18 anos. Essa porcentagem será deduzida a cada ano dos 55% exigidos para o subsídio em dinheiro como a fonte de recursos do fundo supramencionada;

b) a porcentagem não executada correspondente a 4% (quatro por cento) da receita de Cajas para o apoio da Superintendência do Subsídio Familiar no período anual seguinte;

c) o percentual em que as despesas de administração dos Fundos de Compensação Familiar são reduzidas. Este decréscimo será progressivo, para o ano de 2003 as despesas serão de no máximo 9% e a partir de 2004 será no máximo 8%;

d) 1% dos 100% das arrecadações para os subsídios familiares dos Bancos de Poupança com quocientes inferiores a 80% do quociente nacional; 2% das coleções das caixas com quocientes entre 80% e 100% do quociente nacional; e 3% das coleções dos Bancos de Poupança com quocientes superiores a 100% do quociente nacional. Esses recursos serão apropriados a partir do componente habitacional do FUNDO DE HABITAÇÃO SOCIAL DE INTERESSE de cada caso e

e) os retornos financeiros dos Fundos.

 (2) A contribuição percentual para este benefício está incluída na contribuição do sistema previdenciário, determinado sob o título de "velhice", 13,5% é a contribuição para este sistema que cobre a incapacidade não profissional, a velhice e a morte.

Notas explicativas: (COSTA RICA)

 (1) Nas contribuições para o Seguro Saúde no âmbito do Orçamento Geral, o Estado apresentou uma elevada inadimplência, embora tenha tentado diminuir nos últimos exercícios.

 (2) Existem regimes especiais, cobrados ao Orçamento Nacional, de natureza contributiva (Magistério Nacional, Tesouro, Obras Públicas, Registro Público, Comunicações, Ferrovias) e não-contributivos (Guerra, Graça, Beneméritos, Guarda Civil e Ex-Presidentes).

Notas explicativas: (CUBA)

 (1)O regime financeiro dos regimes de segurança social baseia-se no método de distribuição anual. O equilíbrio financeiro do sistema é baseado em receitas e despesas anuais sem reservas financeiras ou acumulação de capital. A única fonte de financiamento para as aposentadorias é a contribuição das empresas e outras entidades trabalhistas, que atinge 14% da folha de pagamento.

Os benefícios em serviços e em espécie que são concedidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde para toda a população, assim como os benefícios do sistema de assistência social, são financiados diretamente pelo orçamento nacional com renda proveniente da renda geral.

O financiamento é assumido pelo Estado, não como um ônus, mas como um investimento destinado a garantir o capital humano necessário para programas de desenvolvimento material e espiritual.

Notas explicativas: (EQUADOR)

 (1) Para afiliadas em um relacionamento de dependência, é financiado por uma contribuição paga pelos empregadores, de 0,5% com base na contribuição do trabalhador, que cobre o custo de atividades de promoção e prevenção, bem como benefícios, subsídios, indemnizações e pensões. No caso de membros sem vínculo de dependência, a contribuição obrigatória é fixada pelo Conselho de Administração, de acordo com a natureza da atividade e a possibilidade do risco protegido.

Os benefícios nos serviços de saúde são cobertos com recursos do Fundo Geral e Individual de Seguro Saúde, na forma determinada pelo Conselho de Administração do Instituto Equatoriano de Seguro Social.

 (2) Foram inscritos os percentuais de contribuições e contribuições correspondentes ao novo regime da Previdência Social Compulsória, bem como outras contribuições a serem pagas pelo Estado que financia o Seguro Geral Obrigatório e o regime de transição. No anterior regime de segurança social obrigatória:

· Contribuição pessoal:

a) Sete por cento (7%) dos salários e salários de servidores públicos, empregados de bancos, seguradoras privadas e funcionários do próprio Instituto;

b) Dos cinco por cento (5%) dos salários e vencimentos da contribuição dos empregados e trabalhadores privados;

c) Cinco por cento (5%) das pensões de reforma pagas pelo Estado;

d) 1% (um por cento) dos salários e vencimentos da contribuição do segurado para a Cooperativa Mortuária;

e) Dos dois por cento (2%) dos salários e vencimentos da contribuição das filiadas ao regime obrigatório, destinado ao Seguro Desemprego;

f) Do 1% (1%) das remunerações e pensões tributáveis, pelo segurado e pelos aposentados do INSTITUTO EQUADORIANO DE SEGURANÇA SOCIAL, respectivamente, para financiar as décimo-terceira e décima quarta aposentadorias dos beneficiários de invalidez, velhice e morte;

g) Da contribuição de 1% (um por cento) da fração do salário mínimo de contribuição que cada membro das famílias afiliadas à Previdência Rural deve pagar como contribuição mensal diferenciada, de acordo com o regulamento do INSTITUTO EQUADORIANO DE SEGURANÇA SOCIAL; e

h) Do ponto zero trinta e cinco por cento (0,35%) do salário e salário dos contribuintes dos membros do Regime Compulsório de Previdência Social da Previdência Rural, de acordo com a Lei 81, publicada no Registro Oficial no. 124 de 20 de novembro de 1981.

· A contribuição do empregador:

a) Dos sete por cento (7%) dos salários e contribuições que as instituições bancárias pagam pelos seus funcionários e funcionários;

b) Dos sete por cento (7%) dos salários e remunerações de contribuição dos empregados privados e trabalhadores;

c) Dos 7% (sete por cento) dos salários e contribuições que pagarão aos municípios e mais organismos e entidades que integram o setor público;

d) Dos cinco por cento (5%) que o Estado pagará pelos salários de seus funcionários e servidores;

e) 1% (um por cento) dos salários e vencimentos recebidos por servidores públicos, servidores privados, trabalhadores, professores, funcionários de bancos e instituições autônomas sujeitas ao regime compulsório do Instituto, para o Seguro; Desemprego;

f) De um ponto e cinco por cento (1,5%) por mês dos vencimentos e remunerações de contribuição dos empregados e trabalhadores, a cargo das funções ou poderes do Estado e das empresas e empregadores, de natureza privada ou fiscal, Financiar o Seguro de Risco Ocupacional;

g) De um ponto a 3% (três por cento) ao mês, dos vencimentos e remunerações de contribuição dos empregados e trabalhadores, a cargo das funções ou poderes do Estado e das empresas e empregadores, de natureza privada ou fiscal, pela concessão de subsídio em dinheiro para doença, cujo valor será regulado no respectivo regulamento; e

h) Do ponto zero trinta e cinco por cento (0,35%) dos salários e vencimentos da contribuição para o INSTITUTO EQUADORIANO DE SEGURANÇA SOCIAL para a Previdência Rural, de acordo com a Lei 81, publicada no Registro Oficial no. 124 de 20 de novembro de 1981.

As contribuições pessoais e patronais de catorze por cento (14%) dos vencimentos e salários tributáveis pagos pelos funcionários e funcionários do Poder Judiciário ou outros órgãos que prestam serviços públicos, por meio de remuneração variável, não fixados nos orçamentos periódicos, mas estabelecidos em tarifas ou outra forma. Este imposto será calculado sobre os salários ou contribuições que os respectivos encargos nos orçamentos fiscais são assimilados.

Os Fundos de Reserva que devem ser depositados pelos empregadores de trabalhadores públicos e privados, de acordo com a Lei e os regulamentos correspondentes.

As contribuições cobradas ao Estado:

a) Quarenta por cento (40%) das pensões pagas pelo Instituto;

b) Um valor não inferior a 600 dólares dos Estados Unidos da América (US $ 600) por ano, que deve ser creditado pelo Banco Central do Equador na conta especial denominada Peasant Social Security, de acordo com o Decreto n. 307, publicado no Registro Oficial no. 279 de 4 de abril de 1973;

c) Daquelas que serão atribuídas pela Função Executiva para o financiamento de serviços solidários da Previdência Rural; e

d) Do ponto zero, trinta por cento (0,30%) de todos os salários e vencimentos da contribuição para o INSTITUTO EQUADORIANO DE SEGURANÇA SOCIAL, para a Previdência Rural, de acordo com a Lei 81 publicada no Registro Oficial no. 124 de 20 de novembro de 1981.

O produto dos descontos e multas impostas aos professores, que serão utilizados para o Seguro Desemprego.

Os lucros dos investimentos.

O produto das multas impostas pelo Instituto de acordo com o Regulamento.

Os recursos que por outras disposições legais ou contratuais, ou por doações, legados, atribuições ou subsídios, são destinados ao Instituto.

As contribuições da continuação voluntária e voluntária segurada, fixada pelo Instituto.

Contribuições pessoais e do empregador e fundos de reserva de trabalhadores da construção civil.

Notas explicativas: (EL SALVADOR)

 (1) Os trabalhadores do setor privado, público e municipal, contribuirão para o esquema geral de riscos de doença, maternidade e profissionais administrados pelo ISSS, de maneira uniforme e gozarão dos benefícios de saúde e financeiros previstos na Lei ISSS e seus regulamentos. Para tanto, citarão a partir da data de entrada em operação do Sistema de Pensão para Previdência, 10,5% da remuneração afetada. Essa taxa será distribuída em 7,5% da remuneração afetada pelo empregador e em 3,0% do trabalhador. Não obstante o acima exposto, os trabalhadores educacionais do setor público podem ser cobertos por um programa especial de doença, maternidade e riscos ocupacionais, e devem indicar a taxa estabelecida no parágrafo anterior.

 (2) Risco não coberto.

 (3) Vid. nota 1

 (4) Risco não coberto.

Notas explicativas: (ESPANHA)

 (1)Além das contribuições para a Segurança Social (incluindo o desemprego), existem as seguintes contribuições:

Fundo de garantia de salário: 0,4% da renda dos trabalhadores sujeitos à cotação. Essas citações são de responsabilidade exclusiva dos empreendedores.

Formação profissional: 0,7% do rendimento dos trabalhadores sujeitos a contribuições. Essa porcentagem é distribuída da seguinte maneira:

• 0,6% o empresário
• 0,1% de trabalhador

Os limites máximos de contribuição são os indicados para o desemprego.

Notas explicativas: (GUATEMALA)

 (1) O programa de cuidados de saúde inclui os de doença e maternidade.

 (2) O programa inclui os correspondentes às contingências e situações de Incapacidade, Antiguidade e Sobreviventes.

Notas explicativas: (PANAMÁ)

 (1) Além das contribuições para a Segurança Social, existem as seguintes contribuições:

· Seguro educacional: obrigatório para todos os empregados, com uma contribuição de 2,75% dos salários base, dos quais 1,50% correspondem ao empregador e os 1,5% restantes ao trabalhador. Constitui uma cota solidária para promover a educação das classes mais carentes do país.

· Sistema de Poupança e Capitalização de Pensões de Servidores Públicos: voluntário para todos os servidores públicos que desejarem ingressar no referido sistema, com uma contribuição mínima de 2% de seu salário base.

 (2) O Programa IVM cobre as prestações familiares por velhice ou invalidez, consistindo em B / $ 20,0 para uma esposa e B $ 10,0 para uma criança com menos de 18 anos, que é adicionado à pensão.

Notas explicativas: (PARAGUAI)

 (1) A forma de financiamento dos diferentes programas do Instituto da Previdência Social (IPS) é descrita na tabela. Limita-se, portanto, à instituição da Previdência Social que abrange o maior número de trabalhadores
e passivos no Paraguai.

As outras instituições estatais, parastatais e privadas de previdência social estão fora da descrição.

 (2) O IPS é apoiado pelos rendimentos do empregador e do trabalhador, que por sua vez não são discriminados na sua aplicação.

 (3) Embora pela Lei de 1943 tenha sido estabelecida uma contribuição de 1,5% do Estado, nunca se tornou efetiva.

 (4) As contribuições para a Previdência Social são globais, correspondentes, da Lei 98/92, em vigor desde 1.1.1993, uma contribuição pessoal de 9% e uma contribuição do empregador de 14%. Os funcionários do
a educação contribui com 5,5% e seus empregadores 2,5%; empregados domésticos contribuem com 2,5% e seus empregadores com 5,5%, e pensionistas IPS com 6%. Desde o início, o Estado tem uma contribuição de 1,5%, que nunca se tornou efetiva.

Além disso, os artigos 23 e 24 da Lei 98/92 determinam que os fundos serão aplicados em 12,5% para aposentadorias e pensões, em 9% para auxílio-doença e maternidade, 1,5% para a administração. geral e 1,5% imprevisto.

Notas explicativas: (PERU)

 (1) Os regimes contributivos são contribuições financiadas pelos empregadores ou segurados, quando se trata de um dependente dependente ou independente, respectivamente. As contribuições também são responsáveis
os segurados quando se trata de pensionistas.

 (2) O sistema estatal é financiado com recursos ordinários do Orçamento Geral da República, recursos diretamente arrecadados gerados a partir do funcionamento do SIS, doações e contribuições não
reembolsável de governos, agências de cooperação internacional, bem como contribuições de pessoas físicas, instituições públicas ou privadas e recursos transferidos pelo Fundo de Solidariedade Imaterial (consistindo principalmente em doações).

Notas explicativas: (PORTUGAL)

 (1) Nos termos previstos na Constituição da República Portuguesa, o direito à proteção é concedido através do Serviço Nacional de Saúde "a título gratuito".

O financiamento dos cuidados de saúde, incluindo a maternidade, é financiado por impostos (Orçamentos do Estado).

 (2) Compartilhamento de custos:

· Serviços de emergência hospitalar e serviços de emergência em centros de saúde;

· Consultas externas de hospitais, centros de saúde e outros serviços de saúde, acordos públicos e privados;

· Acesso a cuidados diagnósticos e terapêuticos complementares.

Sem participação nos custos:

· Hospitalização;

· Situações de citação para serviços de saúde (medicina comunitária e saúde pública).

Isenção da participação nos custos (exemplos):

· Gestantes e parturientes;

· Crianças até 12 anos (inclusive);

· Pensionistas cuja pensão não exceda o salário mínimo nacional, seus cônjuges e filhos menores dependentes.

· Trabalhadores assalariados cuja renda mensal não exceda o salário mínimo nacional, seus cônjuges e filhos que sejam menos dependentes;

· Pensionistas por doenças ocupacionais com grande incapacidade permanente não inferior a 50%;

· Pacientes renais crônicos, hemofílicos, parkinsonianos, tuberculosos, pacientes com AIDS e pacientes soropositivos com tratamento oncológico.

Notas explicativas: (REPÚBLICA DOMINICANA)

 (1) No sistema de previdência social da República Dominicana não há seguro de desemprego.

 (2) No sistema de seguridade social da República Dominicana, não há Seguro de Benefício Familiar.

 (3) O salário mínimo nacional será igual à média simples dos salários mínimos legais do setor privado estabelecidos pelo Comitê Nacional de Salários da Secretaria de Estado do Trabalho. A distribuição deste
a contribuição é de: 9,43% para o cuidado da saúde das pessoas, 0,10% para cobrir as estadias das crianças, 0,40% destinados ao pagamento de subsídios, 0,07% para as operações da Superintendência de Saúde e Riscos laborais

 (4) Os benefícios dos regimes subsidiados subsidiados e contributivos cobrem apenas os seguintes benefícios: Seguro de Saúde Familiar e Seguro de Velhice, Incapacidade e Velhice.

 (5) As contribuições e contribuições para a Previdência Social e para as reservas e devoluções de investimentos que geram os fundos de pensão das afiliadas estarão isentas de todos os impostos ou carga direta ou indireta.
Da mesma forma, as pensões cujo valor mensal seja inferior a cinco salários mínimos nacionais estarão isentas. Os lucros e benefícios obtidos pelos Administradores dos Fundos de Pensão e pelos Gestores de Risco Sanitário estarão sujeitos ao pagamento dos impostos correspondentes.

Notas explicativas: (URUGUAI)

 (*) Com base nas disposições da Lei no. 17.453, de 28 de fevereiro de 2002, cria-se uma taxa adicional para o chamado "Imposto sobre Remuneração e Benefícios", que tem como único destino o financiamento do Banco
da Segurança Social (conf. art. Essa variação foi introduzida para aumentar a arrecadação, mantendo-se constante tanto a finalidade quanto o destino dos recursos arrecadados.

 (1) Com exceção de "Cuidados de Saúde" e "Acidentes de Trabalho e Doenças Profissionais", esta tabela descreve a forma de financiamento dos diferentes benefícios geridos pelo Banco da Segurança Social.
Limita-se, portanto, à instituição de Previdência Social, que abrange o maior número de trabalhadores e passivos no Uruguai.

As outras instituições estatais e de segurança social paraestatais estão fora desta descrição.

 (2) Se a contribuição de 8% sobre a folha de pagamento, por empresa, não cobrir o valor da cota média mútua que o BPS paga ao IMAC, multiplicado pelo número de beneficiários desse seguro, o empregador deve citar a diferença.

 (3) As porcentagens indicadas nesta seção incluem a contribuição para incapacidade e velhice.

Notas explicativas: (VENEZUELA)

 (1) A distribuição da contribuição para os cuidados de saúde, de acordo com o risco, é a seguinte:

a) Mínimo: Empregador: 4,33%; Trabalhador: 1,92%. Total: 6,25%.
b) Médio: Empregador: 4,46%; Trabalhador: 1,79%. Total: 6,25%.
c) Máximo: Empregador: 4,58%; Trabalhador: 1,67%. Total: 6,25%.

 (2) A distribuição da contribuição de 1% para benefícios monetários para doença, entre empregadores e trabalhadores, é a seguinte, de acordo com o risco:

a) Mínimo: Empregador: 0,69%; Trabalhador: 0,31%. Total: 1,00%.
b) Médio: Empregador: 0,72%; Trabalhador 0,28%. Total: 1,00%.
c) Máximo: Empregador: 0,74%; Trabalhador: 0,26%. Total: 1,00%.

 (3) O Estado, em virtude da Lei, não financia nenhum dos benefícios da Previdência Social, estes devem provir das contribuições. O Estado é obrigado a financiar despesas administrativas, as de
manutenção e renovação dos equipamentos do IVSS, com uma contribuição não inferior a 1,5% dos salários cotados, cujo montante está incluído no Orçamento Nacional. O IVSS, através do Ministério do Trabalho,
apresenta a estimativa dessas despesas para cada ano fiscal.

Recentes


Convocatoria. Para la contratación de Profesional en diseño gráfico para la implementación de la Política Regional de Protección Social (PRPS) para Centroamérica

La Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), precisa la contratación de Profesional en diseño gráfico para el desarrollo y cumplimiento de los objetivos, las obligaciones y demás componentes acordados en el marco del Convenio de Cooperación Técnica no reembolsable otorgada por el BCIE a favor de la OISS, para la elaboración, consenso y apoyo en […]


Convocatoria. Para la contratación del Enlace y Gestor Centroamérica para la implementación de la Política Regional de Protección Social (PRPS) para Centroamérica

La Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), precisa la contratación de Enlace y Gestor Centroamérica para el desarrollo y cumplimiento de los objetivos, las obligaciones y demás componentes acordados en el marco del Convenio de Cooperación Técnica no reembolsable otorgada por el BCIE a favor de la OISS, para la elaboración, consenso y apoyo en […]


Guía para la elaboración y actualización de Planes de Humanización de la Salud en Iberoamérica

22 de noviembre de 2023, Madrid, España. La Guía fue desarrollada por la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS) con el apoyo de la Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo (AECID). En cada uno de esos apartados se ofrecen recomendaciones, ideas clave, listas de comprobación y recursos que puedan ser de utilidad para […]


Guía ‘Paso a Paso’ – Acercar el mundo digital a las Personas Mayores (Español y Portugués)

22 de noviembre de 2023, Madrid, España. Guía presentada por la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), la Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI) y la Fundación Astur.


Protocolo sobre el acceso de las Personas Mayores a la sociedad digital en Iberoamérica (Español y Portugués)

22 de noviembre de 2023, Madrid, España. Protocolo desarrollado por la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS) y la Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI).


Boletín n° 0 – Ciapat-Ceapat: Apoyos en Iberoamérica con C de Cooperación

21 de septiembre de 2023, Madrid, España. Trabajamos por la autonomía personal y el desarrollo de apoyos para mejorar la calidad de vida de las personas. Trabalhamos pela autonomia pessoal e o desenvolvimento de apoios para melhorar a qualidade de vida das pessoas.


Guía Práctica para la Inclusión de Personas Mayores en el diseño digital

21 de septiembre de 2023, Madrid, España. Este material busca entregar lineamientos teórico prácticos para la inclusión de personas mayores en el desarrollo de dispositivos tecnológicos y plataformas digitales. El propósito es que los desarrolladores, diseñadores, programadores y gestores de contenidos tengan esta guía como insumo para su trabajo con una perspectiva del curso de […]


Memoria: I Foro sobre Retos de la Formalización Laboral en Iberoamérica (2022)

4 de septiembre de 2023, Madrid, España. “Medidas innovadoras para el fomento de la ampliación de cobertura de la Seguridad Social a trabajadores/as informales”