A aposta francesa pela proteção entre mãe e filho entre o tolerável e o intolerável

Publicado por:

O artigo "A aposta francesa para a proteção entre mãe e filho entre o tolerável e o intolerável", apresentado pelo Dr. Carlos JIMENEZ, diretor do Santé Territoire d'Action Départementale, Boucle de Seine, sobre o serviço de proteção materno-infantil da França, mostra uma boa experiência comparativa no campo da proteção social.
<p style=»text-align: right;»>Dr. Carlos JIMENEZ</p>
No alvorecer do pós-guerra do confronto da última guerra mundial, o governo do general De Gaulle reconheceu como intoleráveis as condições de vida de centenas de milhares de crianças que cresceram em meio à grande pobreza e sem acesso real a serviços de saúde.

Assim, em 1945, o Decreto de 2 de novembro criou o serviço de proteção materno-infantil, o PMI, além do Decreto de 4 de outubro que estrutura o novo sistema previdenciário.

Este serviço inicialmente teve como objetivos prioritários a redução da mortalidade infantil, a proteção de gestantes e crianças menores de 6 anos de idade. Consultas de acompanhamento sobre gravidez e pediatria, bem como visitas domiciliares de enfermagem, constituíram o primeiro pilar do PMI.

Ao longo dos anos, a sociedade, as instituições e os desafios mudaram drasticamente. É por isso que a missão e os objetivos do serviço do PMI também evoluíram consideravelmente.

Na década de 1960, o apoio técnico, supervisão e controle de jardins e viveiros foram adicionados. Na década de 70, foi criado o mecanismo de certificação para todas as pessoas responsáveis pelo atendimento de crianças menores de 6 anos, desde um exame médico, análise de aptidão profissional, verificação de condições de higiene e segurança. de habitação. A organização de um treinamento obrigatório de 60 horas também foi adicionada às missões do serviço do PMI.

Mais tarde, os centros da PMI entram para participar da luta contra a deficiência. Os exames de saúde são então desenvolvidos no segundo ano da pré-escola, com o objetivo de prevenir, diagnosticar e orientar as crianças de maneira oportuna e que apresentem alterações visuais, auditivas, de linguagem e comportamentais.

Atualmente, o campo de ação do PMI se estendeu consideravelmente. Hoje, o serviço de Proteção Materno-Infantil e Planejamento Familiar e Educação (PMI / PEF), além de atividades voltadas a gestantes e crianças na primeira infância, oferece prevenção coletiva e educação em saúde. No nível da saúde individual, é oferecida à população vacinação, consultas pré-natal e pós-natal, além de consultas especializadas sobre amamentação, nutrição, obesidade, tonicidade e massagem corporal, entre outros temas. Essas atividades individuais são complementadas por ações coletivas que acontecem em escolas, escolas e outros espaços, voltadas para adolescentes e famílias. Os temas abordados levam em conta o perfil sociodemográfico e epidemiológico da população, por exemplo, higiene da vida, nutrição, comportamentos de risco, vícios, relação do casal, sexualidade, contracepção, acidentes domésticos , assim como o acompanhamento e educação em torno do exercício da função parental, a prevenção de abuso e a promoção de padrões parentais.

No nível de Planejamento e Educação da Família, o serviço propõe consultas médicas para contracepção, bem como acompanhamento individual em temas como relações entre casais e intrafamiliares. O acompanhamento e o acesso a informações sobre a interrupção voluntária da gravidez também fazem parte das atividades realizadas.

Merece uma menção especial, a "consulta pré-natal precoce". Esta ferramenta é essencial no âmbito do verdadeiro trabalho preventivo. Trata-se de identificar, por volta do quarto mês de gravidez, todos os fatores que podem impedir o desenvolvimento adequado da gravidez. Foram identificadas gravidezes em menores, primeira gravidez em pessoas com mais de 38 anos, repetir gravidezes com menos de 2 anos de intervalo, gravidezes múltiplas, violência conjugal, tempo de deslocamento diário para o local de trabalho superior a 2 horas, ausência do pai , isolamento familiar e social, entre outros aspectos. Dependendo dessas variáveis, um acompanhamento específico para cada problema será proposto.

Com relação à proteção das crianças, o serviço do PMI / PEF tem a tarefa de participar da avaliação de risco e da capacidade dos pais e responsáveis pela autoridade parental de antecipar e garantir o desenvolvimento e o bem-estar das crianças. Trata-se de ajudar a orientação e acompanhamento dessas famílias.

Nos casos em que a autoridade competente estabelece uma medida de proteção administrativa ou judicial, o serviço do PMI deve garantir o acesso aos serviços de saúde dos menores que se beneficiam da medida.

O serviço PMI / PEF também tem uma missão fundamental no nível epidemiológico para receber as declarações de gravidez, certidões de nascimento e atestados de exame médico obrigatório (Oitavo dia, nono mês e dois anos de idade) +. Esta informação é consolidada em conjunto com as estatísticas da atividade realizada e finalmente transmitidas à autoridade nacional competente.

Do ponto de vista administrativo, o serviço PMI / PEF faz parte da organização territorial francesa. É uma organização complexa que se assemelha a um grande "mil folhas" (municípios, intermunicipais, departamentos, regiões, nação). Neste maremágnum burocrático, os departamentos são as entidades territoriais de solidariedade e a execução da política social. É por isso que os departamentos são responsáveis por garantir a existência e o bom funcionamento dos serviços de Proteção Materna e Infantil e Planejamento Familiar e Educação. Hoje, esse serviço de saúde preventiva, em benefício de crianças, gestantes e familiares, é plenamente compatível e complementar ao sistema previdenciário em saúde e aos diferentes esquemas de medicina curativa.

No nível de recursos humanos, o serviço do PMI / PEF põe à disposição da população equipes interdisciplinares formadas por médicos generalistas, ginecologistas, pediatras, enfermeiros gerais e especializados em puericultura, psicólogos, parteiras, conselheiros conjugais e familiares, assistência infantil e secretárias médico-sociais.

Poderíamos pensar que a realidade da maioria dos países latino-americanos nada tem a ver com as possibilidades de um país como a França e que esse tipo de solução só é possível em países desenvolvidos. No entanto, este esquema de medicina preventiva nasceu na França em 1945, em meio à grande pobreza econômica e institucional, com os recentes traumas de guerra e em uma sociedade prostrada às suas dificuldades, como indicam os indicadores de saúde materna e materna. filho do tempo.

A implementação de serviços de medicina preventiva, acesso universal voltado para gestantes e crianças menores de 6 anos, tem muito pouco a ver com as possibilidades financeiras de um país, e sim com o que cada sociedade (... e seus líderes) decidem. considerar como tolerável ou não, tem a ver com a nossa visão da sociedade e o que queremos para as gerações vindouras.

Recentes


Anexo V. Propuesta de Protocolo acoso – OISS 2019

9 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Anexo IV. Proyecto de Presupuesto 2020 – 2021

9 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Anexo III. Informe – Avance – Ejecución 2018 – 2019

9 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Anexo II. Informe – Ejecución 2017

9 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Anexo I. Memoria de la Secretaria General

9 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Acta Comisión Directiva (Asunción, Paraguay 2019)

9 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Anexo IX. Propuesta de Protocolo acoso – OISS (2019)

8 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay


Anexo VIII. Proyecto de Presupuesto 2020 – 2021

8 de octubre de 2019, Asunción, Paraguay