3

Publicado por: Secretaria Geral da OISS

O nível Nível quantitativo dos benefícios para contingências profissionais é o seguinte:

a)Em relação aos feridos

Para determinar o valor dos benefícios monetários, considera-se como “receita base” o valor que resulta da divisão da soma total das remunerações sujeitas a contribuições e contribuições, destinadas ao
Sistema Integrado de Aposentadoria e Pensões (SIJP), nos 12 meses anteriores à primeira manifestação incapacitante, ou no momento da prestação do serviço se fosse inferior a 1 ano, pelo número de dias seguidos
incluídas no período considerado. Seu valor mensal é obtido multiplicando o anterior por 30,4.

Benefícios para a incapacidade temporária do trabalho
a partir do dia seguinte à primeira manifestação incapacitante e pela duração do período de invalidez, a vítima recebe um benefício de pagamento mensal, de valor igual ao valor mensal da renda base. O benefício monetário correspondente aos primeiros dez dias é de responsabilidade do empregador, enquanto os seguintes são responsáveis pelo Seguro de Risco Ocupacional (ART), que, em qualquer caso, assumirá os benefícios em espécie.

Benefícios para incapacidade permanente parcial

 Enquanto perdura a situação provisória da Incapacidade Ocupacional Permanente Parcial, a vítima recebe um benefício de pagamento mensal cujo valor é igual ao valor mensal da renda base, multiplicado
para a percentagem de incapacidade, para além das correspondentes prestações familiares.

 Uma vez que a Incapacidade Parcial Permanente for declarada definitiva, a vítima receberá uma indenização de pagamento único cujo valor será igual a cinquenta e três (53) vezes o valor mensal da renda base, multiplicado pela porcentagem de invalidez e por um coeficiente que resultará dividir o número sessenta e cinco (65) pela idade da vítima na data da primeira manifestação incapacitante; desde que o percentual de invalidez seja igual ou inferior a 50% (essa soma em nenhum caso poderá ser maior do que o valor resultante da multiplicação de US $ 180.000 pela porcentagem de invalidez).

Quando o percentual de invalidez é maior que 50% e menor que 66%, uma renda periódica, cujo valor é igual ao valor mensal da renda base multiplicado pelo percentual de invalidez. O valor esperado atual da renda periódica não pode em caso algum exceder US $ 180.000. Além disso, a parte lesada recebe uma compensação monetária adicional de um pagamento único de US $ 30.000.

Benefícios para incapacidade permanente total

 Enquanto perdura a situação de provisionalidade da deficiência, a vítima recebe um benefício de pagamento mensal equivalente a 70% do valor mensal da renda base.

 Tendo declarado o caráter definitivo da incapacidade, a vítima recebe os benefícios que, por aposentadoria definitiva por invalidez, estabelecem o regime de previdência social ao qual está filiada. Além disso, a parte lesada recebe uma compensação monetária adicional de um pagamento único de US $ 40.000.

Benefícios para deficiências grandes a vítima declarada muito inválida recebe os benefícios correspondentes para os diferentes casos de Incapacidade Total de Trabalho Permanente. Além disso, a Seguradora de Risco Ocupacional (ART) paga à vítima um benefício de pagamento mensal equivalente a três vezes o valor do Módulo de Pensão (MOPRE) (2), que se extingue com a morte do lesado.

b)Aos parentes do falecido segurado

Os beneficiários do trabalhador têm acesso à pensão por morte prevista no regime de pensões em que a parte lesada era filiada. Eles também recebem um benefício de pagamento mensal complementar ao correspondente ao sistema de seguridade social, cujo montante é determinado atuarialmente com base no capital constituído pela Occupational Risk Insurance Company (ART). Esse capital equivale a 53 vezes o valor mensal da renda base, multiplicado por um coeficiente que resultará da divisão do número 65 pela idade da vítima na data da primeira manifestação de invalidação e não poderá exceder $ 180.000.

Os beneficiários recebem, além disso, uma compensação monetária adicional de um pagamento único de US $ 50.000.

Recentes


Situación del COVID-19 en América Latina (Hasta el 25 de julio 2021)

25 de julio de 2021, Madrid, España.


Convocatoria para la elaboración del Estudio sobre ‘Seguridad Social de las Personas Migrantes en Iberoamérica’

OBJETIVO DE ESTUDIO El informe busca recoger y analizar datos relativos al acceso de las personas migrantes a los sistemas de seguridad social en los 22 países iberoamericanos con el fin de identificar retos pendientes y buenas prácticas desarrolladas. PRESENTACIÓN DE PROPUESTAS: Las propuestas de trabajo y presupuestos se remitirán a la Secretaría General de […]


Situación del COVID-19 en América Latina (Hasta el 18 de julio 2021)

19 de julio de 2021, Madrid, España.


Cooperación, pensiones, fondo indígena: hitos de las Cumbres Iberoamericanas.

21 de julio de 2021 – SWI swissinfo.ch sección internacional de la Sociedad Suiza de Radiotelevisión.


Situación del COVID-19 en América Latina (Hasta el 11 de julio 2021)

12 de julio de 2021, Madrid, España.


La OISS y el Seguro Integral de Salud de Bolivia, suscriben virtualmente Convenio Marco de Colaboración.

16 de julio de 2021, Madrid, España. El pasado jueves 15 de julio de la presente gestión, la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS) y el Seguro Integral de Salud (SINEC) de Santa Cruz de la Sierra, Bolivia, suscribieron un Convenio Marco de Colaboración. El acto se desarrollo virtualmente y fue suscrito por la Secretaria […]


Encuentro entre la Secretaria General de la OISS y el Director de la Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo (AECID).

14 de julio de 2021, Madrid, España. El pasado 13 de julio de la presente gestión, en Madrid, España la secretaria general de la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), Gina Magnolia Riaño Barón en compañía de la vicesecretaria general, Ana Mohedano Escobar, visitó al director de la Agencia Española de Cooperación Internacional para el […]


La AECID y la Organización Iberoamericana de Seguridad Social buscarán mejorar la gobernanza de los sistemas de protección social.

17 de julio de 2021 – Sala de Prensa – AECID.