A Lei Estatutária da Saúde na Colômbia foi promulgada

Publicado por: Secretaria Geral da OISS
Bogotá DC 26 de fevereiro de 2015

Após a revisão pelo Tribunal Constitucional, por meio do julgamento C-313 de 2014 (MP Dr. Gabriel Eduardo Mendoza Martelo), em 16 de fevereiro foi sancionada a lei estatutária pela qual o direito à saúde na Colômbia foi regulamentado. .

Os objetivos da lei são garantir o direito fundamental à saúde, regulá-lo e estabelecer os mecanismos para sua proteção.

A ordem especifica as obrigações do Estado em relação ao serviço público de saúde, bem como os elementos e princípios do direito fundamental, incluindo a disponibilidade, aceitabilidade, acessibilidade, qualidade profissional e adequação, universalidade, o princípio da homine, equidade, oportunidade e progressividade.

Constata-se imperativo a prestação de serviços de saúde no atendimento inicial de urgência e naquelas circunstâncias determinadas pelo Ministério da Saúde e Proteção Social, sem qualquer impedimento, evitando-se a interposição de obstáculos de qualquer ordem para que as pessoas possam acessar o serviço. serviço

Da mesma forma, reconhece-se a visão integral da saúde, através da incorporação dos determinantes sociais da saúde como elementos que devem ser atendidos para que o direito seja efetivo. Da mesma forma, é previsto que os serviços sociais que servem a saúde devem ser fornecidos, no entanto, sua fonte de financiamento é diferente daquela que alimenta o seguro.

Os direitos e deveres do povo são também consagrados em relação à prestação do serviço de saúde, que é definido como o “conjunto articulado e harmonioso de princípios e normas; políticas públicas; instituições; competências e procedimentos; faculdades, obrigações, direitos e deveres; financiamento; controles; informação e avaliação que o Estado tem para a garantia e concretização do direito fundamental da saúde ".

Os benefícios previdenciários serão cobertos por meio de plano de saúde compulsório, de natureza implícita, segundo o qual as exclusões devem ser explícitas e adotadas por meio de um procedimento técnico - científico, público e participativo, bem como a adoção de novas coberturas para o desenvolvimento. científico e tecnológico

O uso da ação de tutela como mecanismo protetor do direito à saúde é garantido, porém, a grande aposta é que seu uso é reduzido na prática pelas melhores práticas do sistema e pela aplicação da lei estatutária.

Além disso, "é garantida a autonomia dos profissionais de saúde para tomar decisões sobre o diagnóstico e tratamento dos pacientes de que são responsáveis. Esta autonomia será exercida no âmbito dos esquemas de auto-regulação, ética, racionalidade e evidência científica ", e a restrição aos operadores de saúde é proibida, assim como a entrega de presentes ou regalias" aos profissionais e trabalhadores saúde no âmbito do seu trabalho, em dinheiro ou em espécie, por parte dos fornecedores; empresas farmacêuticas, produtores, distribuidores ou comerciantes de medicamentos ou de insumos, dispositivos e / ou equipamento médico ou similar ".

No campo da política farmacêutica, critérios importantes são incorporados, com os quais os esforços que estão sendo feitos para solidificar um sistema adequado de controle de preços e sistema de mercado sobre o assunto são solidificados. Neste sentido, a lei estabelece que: "O Governo Nacional estabelecerá uma Política Farmacêutica Nacional, programática e abrangente na qual estratégias, prioridades, mecanismos de financiamento, aquisição, armazenamento, produção, compra e distribuição de insumos, tecnologias e medicamentos sejam identificados. , bem como os mecanismos de regulação do preço dos medicamentos. Esta política será baseada em critérios de necessidade, qualidade, eficácia de custos, suficiência e oportunidade ".
A lei de saúde estatutária constitui uma oportunidade para o avanço do sistema de saúde na Colômbia, com o compromisso agora de qualidade, uma vez que foram alcançados altos padrões de cobertura que colocam o país no seguro de saúde universal.

Discussões anteriores foram feitas sobre a prevalência do direito à saúde, com respeito aos princípios de progressividade e sustentabilidade fiscal. É claro que em termos de direitos fundamentais não é possível se opor a restrições fiscais, no entanto, surge uma tarefa prioritária para as autoridades públicas, relacionada à obtenção dos recursos permanentes necessários para atender às crescentes demandas em termos de Cobertura e qualidade em saúde.

Para mais informações, consulte o texto da norma: Lei nº 1751 de 16 de fevereiro de 2015

Juan Carlos Cortés González, Diretor do Centro Regional da OISS para a Colômbia e a Área Andina

Recentes


Convocatoria. Para la contratación de Profesional en diseño gráfico para la implementación de la Política Regional de Protección Social (PRPS) para Centroamérica

La Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), precisa la contratación de Profesional en diseño gráfico para el desarrollo y cumplimiento de los objetivos, las obligaciones y demás componentes acordados en el marco del Convenio de Cooperación Técnica no reembolsable otorgada por el BCIE a favor de la OISS, para la elaboración, consenso y apoyo en […]


Convocatoria. Para la contratación del Enlace y Gestor Centroamérica para la implementación de la Política Regional de Protección Social (PRPS) para Centroamérica

La Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), precisa la contratación de Enlace y Gestor Centroamérica para el desarrollo y cumplimiento de los objetivos, las obligaciones y demás componentes acordados en el marco del Convenio de Cooperación Técnica no reembolsable otorgada por el BCIE a favor de la OISS, para la elaboración, consenso y apoyo en […]


Guía para la elaboración y actualización de Planes de Humanización de la Salud en Iberoamérica

22 de noviembre de 2023, Madrid, España. La Guía fue desarrollada por la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS) con el apoyo de la Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo (AECID). En cada uno de esos apartados se ofrecen recomendaciones, ideas clave, listas de comprobación y recursos que puedan ser de utilidad para […]


Guía ‘Paso a Paso’ – Acercar el mundo digital a las Personas Mayores (Español y Portugués)

22 de noviembre de 2023, Madrid, España. Guía presentada por la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS), la Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI) y la Fundación Astur.


Protocolo sobre el acceso de las Personas Mayores a la sociedad digital en Iberoamérica (Español y Portugués)

22 de noviembre de 2023, Madrid, España. Protocolo desarrollado por la Organización Iberoamericana de Seguridad Social (OISS) y la Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI).


Boletín n° 0 – Ciapat-Ceapat: Apoyos en Iberoamérica con C de Cooperación

21 de septiembre de 2023, Madrid, España. Trabajamos por la autonomía personal y el desarrollo de apoyos para mejorar la calidad de vida de las personas. Trabalhamos pela autonomia pessoal e o desenvolvimento de apoios para melhorar a qualidade de vida das pessoas.


Guía Práctica para la Inclusión de Personas Mayores en el diseño digital

21 de septiembre de 2023, Madrid, España. Este material busca entregar lineamientos teórico prácticos para la inclusión de personas mayores en el desarrollo de dispositivos tecnológicos y plataformas digitales. El propósito es que los desarrolladores, diseñadores, programadores y gestores de contenidos tengan esta guía como insumo para su trabajo con una perspectiva del curso de […]


Memoria: I Foro sobre Retos de la Formalización Laboral en Iberoamérica (2022)

4 de septiembre de 2023, Madrid, España. “Medidas innovadoras para el fomento de la ampliación de cobertura de la Seguridad Social a trabajadores/as informales”